O consumo de delivery no Rio de Janeiro

with Nenhum comentário

O Setor de entrega de comida a domicilio no geral em 2016 foi responsável por movimentar R$ 9 bilhões na economia nacional de acordo com Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes). O serviço de delivery no Rio de Janeiro, por exemplo, tornou-se uma alternativa rentável, tanto para os consumidores cariocas conterem os gastos com a alimentação fora do lar quanto para os proprietários de restaurantes, que conseguem absorver parte da queda de faturamento.

Uma das explicações é que este modelo de negócio tem conseguido faturar mais por causa da crise. O cliente não paga estacionamento e nem os 10% do serviço. E ainda controla melhor os pedidos com o delivery. As entregas de comida, quem diria, estão ajudando a segurar as contas de bares e restaurantes. No ano passado, o setor cresceu 12,5% – praticamente o dobro do segmento de bares e restaurantes, que foi de 6,43%, segundo dados do G1

Só na cidade carioca registrou-se crescimento de 37% no número de solicitações entre janeiro e setembro de 2016, conforme mostra a reportagem do E-commerce News. Além da crise, outro motivo para esse aumento abrupto vem de fatores urbanos, como a violência. Principalmente, à noite. Mudando assim completamente os hábitos das famílias e colaborando para movimentar o setor de delivery no Rio de Janeiro.

O potencial desse negócio é ainda muito grande, sobretudo, na região sudeste, como mostra abaixo: 

 

Delivery no Rio de Janeiro motoboi
              Frota por região brasileira  (Fonte: fenabrave)

 

A concorrência na entrega de comida aumentou também. De acordo com o levantamento do Sebrae, a quantidade de estabelecimentos especializados no fornecimento rápido de produtos passou de 1.332 unidades em 2007 para 2.348 em 2015. Um salto que significou o aumento de 76,28% em termos totais. Hoje, é possível entregar de tudo em casa!

O segmento ainda tem boas possibilidades para se ampliar, já que o número de motoboys disponíveis é muito grande. Principalmente, nas grandes capitais.

 

Delivery no Rio de Janeiro motoboi
Número total de frota nas principais capitais do Brasil

 

Perfil de consumidor de delivery no Rio de Janeiro

A reportagem do E-commerce ainda mostrou, com base em 10 mil pedidos efetuados pelos consumidores nos mais de 800 restaurantes, que os moradores do Rio gastam em média R$59 por solicitação. Sendo o segundo maior ticket médio em âmbito nacional, atrás apenas de São Paulo. O levantamento também mostra que as mulheres são as que mais solicitam delivery no Rio de Janeiro, com 53% de participação. Já a faixa etária predominante são as pessoas entre 25 e 29 anos, responsáveis por 25% dos pedidos.

A tendência é de que os modelos tradicionais deixem de estar no topo. Atualmente, vivemos em uma sociedade que as novas gerações já são nativas da tecnologia, provocando uma profunda alteração no relacionamento entre empresas e consumidores. É muito importante, por isso, conhecer de forma detalhada toda a cadeia de consumo, saber quem são os usuários, os hábitos deles e identificar como eles agem.

Deixe uma resposta